Liderado por Prisco, grupo decreta greve da Polícia Militar por tempo indeterminado na Bahia

Autor: Redação

Publicada em


Liderado por Prisco, grupo decreta greve da Polícia Militar por tempo indeterminado na Bahia
Liderado por Prisco, grupo decreta greve da Polícia Militar por tempo indeterminado na Bahia – SSP-BA nega

 

Liderado pelo deputado e representante da Associação de Policiais e Bombeiros e de seus Familiares (Aspra), Soldado Prisco (PSC), um grupo de policiais decidiu decretar greve da Polícia Militar por tempo indeterminado na Bahia. A decisão foi tomada durante uma assembleia realizada na tarde desta terça-feira (08/10), no Clube Adelba, próximo ao Shopping Paralela, em Salvador.

Segundo Prisco, o Governo não sentou na mesa de negociação. Veja a transmissão ao vivo que foi publicada na rede social do deputado, onde o mesmo aparece discursando durante a assembleia:

 

O coordenador regional da Aspra, Augusto Araújo Júnior, informou que a categoria está tentando negociar há cinco anos com o governo do estado, mas, segundo ele, não houve retorno aos pedidos de reunião.

Reivindicações

Entre as pautas do grupo de militares, estão: melhorias do Planserv, cumprimento do acordo de 2014, solução para os problemas do novo sistema RH, reforma do Estatuto, código de Ética; periculosidade; auxílio Alimentação; reajuste da CET; plano de Carreira; cumprimento de ordem judicial e isenção de ICMS para Aquisição de Arma de Fogo para PMs e BMs.

Comandante da PM nega

O comandante da Polícia Militar da Bahia (PM-BA), Anselmo Brandão, negou uma paralisação das tropas no estado. Segundo o comandante, o movimento é um fato político criado pelo deputado estadual Soldado Prisco (PSC) que atraí, em sua grande maioria, policiais aposentados.

“Infelizmente o deputado Prisco está há 15 dias tentando cooptar nossas tropas. Mas a tropa tem um comandante que é um elo de ligação com o governador e que está discutindo os pleitos da corporação”, declarou Brandão.

Anselmo ainda fez questão de garantir que as trocas de turno de policiais, que ocorre às 19h desta terça, acontecerão normalmente. O deputado Prisco, em vídeo distribuído pelo Whatsapp, pediu que os policiais ficassem aquartelados.

O que a SSP diz?

A Secretaria da Segurança Pública (SSP) atribui a decisão a um “pequeno grupo” dentro da corporação, e informa que a situação é monitorada.