INSSNotícias

INSS deve trabalhar por meta para zerar fila com 1,3 milhão de pedidos

INSS deve trabalhar por meta para zerar fila com 1,3 milhão de pedidos de benefícios atrasados
INSS deve trabalhar por meta para zerar fila com 1,3 milhão de pedidos de benefícios atrasados

INSS deve trabalhar por meta para zerar fila com 1,3 milhão de pedidos de benefícios atrasados. O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) lida atualmente com cerca de 1,3 milhão de pedidos de benefícios aguardando análise do órgão há mais de 45 dias. Com o objetivo de colocar esses processos em dia, o governo federal publicou no Diário Oficial da União (DOU), uma lista de ações para acelerar as análises.

Entre as medidas, estão as que permitem que os servidores do INSS trabalhem por meta, optem pelo teletrabalho (homeoffice) e ganhem uma gratificação por desempenho. Segundo o presidente do INSS, Renato Vieira, o instituto recebe cerca de 1 milhão de pedidos de benefício – aposentadoria ou pensão – por mês.

O prazo médio de análise atual é de aproximadamente 70 dias, e Vieira pretende que o prazo regular de 45 dias passe a ser respeitado. Sobre os processos atrasados , o presidente do órgão afirma que deve finalizá-los até o fim de 2019.

Buraco Negro: revisão do INSS pode aumentar benefício e pagar mais de R$ 350 mil

“É um conjunto de medidas pensadas, todas conectadas, para que haja um aumento de produtividade e redução do tempo de espera para concessão de benefícios”, explicou o presidente do INSS.

Conheça as principais medidas:

  1. programa de dispensa de horário dos servidores foi alterado. Ele não é obrigatório, mas o servidor que optar por essa modalidade terá que analisar de 110 a 115 processos por mês. A média atual é de 55 análises mensais. Em compensação, ele não vai precisar fazer um horário fixo de trabalho. Se a meta for ultrapassada, o servidor ainda ganha um adicional de R$ 57,50 por análise concluída.
  2. O servidor também poderá optar pelo teletrabalho (conhecido como homeoffice). A meta nesse caso é de 120 a 130 processos e o bônus, acima disso, de R$ 57,50 também.
  3. O número de benefícios liberados sem intervenção humana, analisado apenas pelo sistema de computador, deve aumentar. A meta, segundo Renato Vieira é passar dos atuais 1.500 processos liberados dessa forma por mês, para mais de 100 mil mensais ainda em 2019.
  4. O INSS também vai deslocar funcionários de outras áreas para a análise de pedidos de benefício. Segundo Vieira, atualmente só 17% deles atuam nessa área.

INSS também informou que os segurados que pretendem entrar com um pedido não precisam ir até uma agência, já que os requerimentos estão disponíveis na internet ou no telefone 135.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar