NotíciasSalvador

Chuva chega e causa estragos

Ela demorou, mas chegou. E chegou causando transtornos por toda a cidade no dia de ontem. Com as chuvas que vem caindo na capital baiana desde vários foram os problemas registrados, desde ruas alagadas, passando por lonas rasgadas em equipamento recém inaugurado até mesmo ameaças de deslizamento de terra, o que já está tirando o sono de alguns moradores próximos a encostas.

No trânsito, os problemas foram sentidos desde as primeiras horas, com sinaleiras defeituosas ou apagadas em pontos como na orla do Costa Azul, no Vale de Nazaré, no bairro do Comércio, na região do Hospital São Rafael, no Caminho de Areia e no cruzamento das ruas Rio Grande do Sul e Amazonas, na Pituba.

Já pontos de alagamento foram percebidos em trechos da Avenida Jequitaia, na Cidade Baixa, no Campo Grande, no Dique do Tororó, Ladeira dos Galés, Avenida Paralela – sentido aeroporto –, na Avenida Cônego Pereira (entre o Aquidabã e as Sete Portas) e entre as ruas Elias Nazaré e Nilo Peçanha, também na Cidade Baixa, deixando o trafego de veículos complicado.

Além disso, um poste ficou inclinado na Rua Boa Vista de Brotas, próximo ao Solar da Boa Vista, e os fios ficaram caídos na via impossibilitando à passagem de veículos. Agentes da Transalvador estiveram no local monitorando o trânsito e uma equipe da Coelba foi acionada para fazer os reparos, que foram finalizados pouco antes do meio-dia.

No bairro do Rio Vermelho, a lona de proteção dos quiosques do recém inaugurado Mercado do Peixe foi derrubado com a força dos ventos pouco depois das 7h. O local, de acordo com o Secretário municipal de manutenção, Marcílio Bastos, teve de ser interditado para a retirada de todo o material, mas assegurou que no máximo até esta quarta-feira, o espaço já estaria funcionado.

“Não houveram feridos e a empresa responsável já foi notificada e vai arcar com os prejuízos. Contudo, a parte estrutural foi preservada e projetada para suportar ventos de até 130 km/h. Não temos prazo para a colocação da nova lona, mas o novo material deve ser mais reforçado e resistente”, relatou Bastos.

A Prefeitura, por meio da Secretaria de Manutenção (Seman), avisa que já notificou a empresa Nova Era, responsável pela instalação e manutenção da lona do novo Mercado do Rio Vermelho. A empresa terá que efetuar o reparo imediato das lonas que tiveram a costura rompida, na manhã desta terça-feira (03), devido ao mal tempo. O reparo será feito no prazo máximo de 24 horas. Como mercado não estava em horário de funcionamento, não houve feridos.

“O incidente ocorreu por volta das 7h e, imediatamente, acionamos a empresa para que agilizasse o reparo, visto que o equipamento se encontra em garantia. A estrutura é feita com materiais de alta qualidade e, em uma primeira análise, foi avariada devido a um imprevisto do mau tempo. Além de proceder com os reparos, os responsáveis devem ainda informar se outros fatores, além dos ventos e da chuva, proporcionaram o rompimento da cobertura”, informa o secretário de Manutenção, Marcílio Bastos.

PREOCUPAÇÃO
E bastaram as primeiras chuvas caírem para os moradores próximos as encostas começarem a relembrar o pesadelo que viveram no ano passado e a temer que a situação possa se repetir novamente. Há quase um ano, um deslizamento de terra matou cerca de quatro pessoas que moravam na Rua Coronel Pedro Ferrão, que fica na Baixa do Fiscal.

“Eu particularmente estou mais tranqüila esse ano, por que um fiscal da Codesal nos disse que um alarme foi instalado no local e que seria acionado ao perceber qualquer movimentação na terra. Mas não deixo de ficar atenta e a gente fica nessa expectativa. Se ouvir qualquer barulho eu saio correndo de casa”, contou a dona de casa, Maria das Graças da Conceição. “Eu não dormi essa última noite. Quando chove é um problema e eu fico muito preocupada. Se eu pudesse, eu não estaria aqui”, salientou a também dona de casa, Darcy Trindade.

A reclamação dos que moram próximos a esses locais é a de que a lona colocada sobre a encosta já estaria bastante danificada e não seria segura o suficiente para impedir um novo deslizamento da terra. Medo semelhante tem os moradores da Rua Maria Isabel, que fica na Boa Vista do Lobato. Atualmente desempregada, Jacilene Almeida viu a sua casa ser levada pela terra no deslizamento que ocorreu na região no ano passado.

Hoje, ela está morando de favor na casa de amigos, também no local. “Boa parte dessa lona que está aqui fomos nós, moradores, que ajeitamos e conseguimos comprar. Ao ligar para Codesal, um dos atendentes me disse que nós é que teríamos que ir lá para pegar a lona. Mas ao chegar lá eles simplesmente não liberaram”, afirmou.

Para facilitar o acesso da rua com a Avenida Afrânio Peixoto, uma das principais da região do Subúrbio Ferroviário, moradores afirmaram que a cerca de um ano fizeram uma escada improvisada. “O prefeito esteve aqui, viu a nossa situação, mas até agora nada foi feito”, relatou Jacilene. “Eu tenho dormido a base de remédios, como foi na última noite. As minhas filhas é que ficaram acordadas vigiando”, acrescentou a dona de casa, Ilda Neves da Silva.

Tempo chuvoso deve permanecer 

Em contato com a reportagem da Tribuna da Bahia, a assessoria de comunicação da Codesal informou que vai solicitar a visita de um engenheiro nos dois locais relatados e salientou que continua monitorando toda a cidade, principalmente as áreas de risco da capital baiana.

“Ao perceber qualquer sinal de risco relacionado à defesa civil, como inclinação em postes ou árvores ou o escorregamento da terra, a pessoa entre em contato com a Codesal através da central 199, um engenheiro vai até o local avaliar a situação”, explicou a assessoria. Até final da manhã de ontem, o órgão municipal registrou 22 ocorrências. A maioria, 10, relativas à ameaça de desabamento de imóvel. Houve também solicitações recorrentes de alagamentos de imóveis, infiltrações e ameaças de deslizamentos de terra.

Já de acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), o tempo fechado deve continuar em Salvador pelo menos até o fim da semana, mas com chuvas isoladas a partir desta quinta-feira. Para hoje, a previsão é de que o tempo fique encoberto com pancadas de chuva ao longo de todo o dia. A temperatura máxima deve ficar em torno dos 27ºC e a umidade média fica acima dos 80%.

Operação Chuva 2016
A Defesa Civil de Salvador (Codesal) apresenta boletim da “Operação Chuva 2016”. Até as 18h06 de ontem, o órgão tinha recebido 53 solicitações de emergência. Foram três alagamentos de imóvel, 19 ameaças de desabamento de imóvel, uma ameaça de desabamento de muro, 22 ameaças de deslizamento de terra, três avaliações de imóvel alagado, quatro deslizamentos de terra e uma infiltração. Não há registro de feridos. A Codesal permanece com o plantão 24 horas atendendo às solicitações pelo telefone gratuito 199.

TAGS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar