Bolsa Família

Bolsa Família tem novo golpe: Inscrição para receber o 13° de 2020

Bolsa Família tem novo golpe: Inscrição para receber o 13° de 2020
Bolsa Família tem novo golpe: Inscrição para receber o 13° de 2020 – Reprodução

Bolsa Família tem novo golpe: Inscrição para receber o 13° de 2020. Um novo golpe, veiculado por meio de mensagens no aplicativo WhatsApp, promete a liberação instantânea do 13º salário do Bolsa Família para beneficiários do programa.

A mensagem contém um link que redireciona o usuário para uma página onde são solicitados os dados pessoais, como nome completo, CPF e endereço.

Além disso, o site exige que a vítima compartilhe o link com todos os seus contatos para que o pagamento seja efetuado.

O Ministério da Cidadania alerta que não solicita dados pessoais via WhatsApp ou por qualquer outro aplicativo, muito menos o compartilhamento de links como condição para concessão de benefícios do Programa Bolsa Família.

Veja também: Conheça e evite cair nesses golpes de internet muito comuns

Aviso

A diretora do Departamento de Benefícios, Caroline Paranayba, ressalta que o recebimento do repasse não necessita de fornecimento de nenhuma informação adicional das famílias.

“O desenho que o governo federal fez para o 13º não requer nenhuma providencia da família beneficiária do programa. Todos os procedimentos que estão sendo feitos partem das informações já existentes do governo federal. Desse modo, não é necessário o fornecimento de nenhuma informação nova”, destaca.

O governo federal não faz nenhum tipo de coleta de dados por meio das redes sociais. Atualização de informações de famílias beneficiarias de programas sociais deve ser feita exclusivamente no órgão responsável do município.
Mais informações sobre o Programa Bolsa Família estão disponíveis no site mds.gov.br.

Famílias que se desligaram voluntariamente do Bolsa Família

Busca por independência financeira e um emprego digno. Esta era a realidade de dona Maria do Socorro Félix, de 45 anos.

Desempregada e responsável por criar sozinha os três filhos, ela conseguia apenas fazer alguns bicos como doméstica, babá ou lavadeira. Em 2005, com filhos de 14, 13 e 12 anos, dona Maria buscou auxílio do Programa Bolsa Família para complementar a renda da casa.

Recentemente, ela conquistou um emprego de doméstica, com carteira assinada, em Barbalha, no Ceará. Na mesma semana, ela procurou o órgão responsável em sua cidade e cancelou o Bolsa Família. A explicação é simples. Segundo a doméstica, existem famílias mais necessitadas.

“Fui muito beneficiada porque lá em casa eu sempre fui mãe e pai, com três filhos. Me ajudou muito. No momento, graças a Deus, tenho emprego, então posso abrir mão e deixar para que o dinheiro ajude outras pessoas que precisam mais do que eu. Não custa nada fazer o bem”, contou.

Em 2019, mais de 11 mil famílias já solicitaram desligamento voluntário do Bolsa Família. Segundo a diretora do Departamento de Benefícios do Ministério da Cidadania, Caroline Paranayba, se a família que solicitou o desligamento voluntário precisar novamente do benefício, o processo é simples.

“Se a família pediu o desligamento voluntário até 36 meses atrás, basta fazer a conta; se foi a menos de 3 anos, é só procurar o setor responsável pelo Bolsa Família na sua cidade, levar a documentação e solicitar a reversão do cancelamento.”

Pobreza

Famílias consideradas abaixo da linha da pobreza, com renda per capta de até R$ 178 por mês, tem retorno garantido ao programa.

Para solicitar a reinclusão, o beneficiário deve procurar o setor responsável pelo Bolsa Família de seu município. É necessário levar CPF ou título de eleitor e documento de identificação do responsável familiar.

Além disso, é preciso apresentar a documentação de todos os integrantes da família, para atualizar o cadastro.

Veja também: Bolsa Família: Matéria quer aumentar valor pago nas faixas do programa

Fonte: Mix Vale

TAGS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar