Vitória perde, mas é o campeão baiano de 2016

Autor: Tribuna da Bahia

Publicada em


O Bahia precisava vencer o Vitória, na tarde deste domingo (8/5), por 2 gols de diferença, e para sufocar o Rubro-Negro o técnico Doriva armou o time com quatro jogadores no meio do campo e dois atacantes, deixando uma barreira de quatro defensores.

Vagner Mancino, técnico do Vitória, disse antes do jogo já esperar essa formação, e que havia alertado os jogadores, mas pelo que se viu no primeiro tempo do jogo, eles entenderam pouco ou quase nada.

O Bahia sufocou o Vitória; dominou o meio do campo, foi seguro na defesa e atacou desde o primeiro minuto. O Vitória só conseguiu chegar aos 19, em lançamento de Vander para Victor Ramos cabecear impedido. Até então Marcelo Lomba nem precisaria ter entrado em campo.

Com aquele panorama, o gol Tricolor era mesmo uma questão de tempo. E surgiu aos 20 minutos. João Paulo Gomes, o jogador mais perigoso, cruzou para a chegada de Feijão, que chutou mascado para fazer Bahia 1 x 0 Vitória.

Foi um primeiro tempo nervoso, com muitos cartões amarelos (Amaral, Marinho e Vander, pelo Vitória; Hernane, Thiago Ribeiro, Tinga e Éder, pelo Bahia).

Após um gol, confusão entre os reservas, E o goleiro Jean foi expulso pelo árbitro gaúcho Leandro Vuaden.

Segundo tempo

Bahia e Vitória voltaram sem alterações, para os 45 minutos finais, em que o Tricolor precisava de mais um gol, e o Rubro-Negro de manter o resultado, na pior das hipóteses.

E o Vitória perdeu a grande chance do jogo até então, logo aos 4 minutos. Kieza recebeu sem marcação, dominou e chutou para defesa de Marcelo Lomba.

O Rubro-Negro voltou melhor, e aos 12 minutos o tecnico do Bahia, Doriva, colocou Juninho em campo, na tentativa de deixar o time mais agressivo. E o time teve duas oportunidades em seguida, mas Caíque mostrou que se encontra mesmo em muito boa forma técnica.

E aos 25 foi a vez de Hernane. Dentro da primeira área, tentou driblar Vitor Ramos, em vez de chutar em gol. Perdeu a bola.

O jogo ficou aberto. Um gol poderia sair para qualquer um dos times.

E aos 42 minutos, estragaram o Ba-Vi. Jogadores em campo, reservas, comissões técnicas brigaram, se empurraram, se xingaram, deram um exemplo dos piores.

Diego Renan e Lucas Fonseca, que iniciaram o vexame, foram expulsos.

Depois do jogo, mais vergonha, mais brigas.