Uber passa a aceitar dinheiro a partir de hoje (11)

Autor: iG

Publicada em


Os baianos que utilizam o aplicativo de transportes Uber terão uma nova forma para pagar suas corridas. A partir de hoje a empresa multinacional norte-americana de transporte privado urbano vai permitir que o pagamento pelo serviço seja realizado em dinheiro. Salvador, Fortaleza e Recife são as primeiras capitais a operar com a nova modalidade.

De acordo com o porta-voz da Uber Brasil, Fabio Sabba, a decisão se deu após perceberem um grande número de desistências durante o cadastro ao pedirem o cartão de crédito do usuário. “Nós vimos que no Nordeste mais de 60% dos usuários paravam o processo de se cadastrar no momento que precisava pedir um cartão de crédito. Então nós resolvemos soltar um piloto nessa região, permitindo que os motoristas aceitem dinheiro”, justificou.

Não haverá nenhuma mudança drástica no aplicativo. Na hora de pedir um carro do Uber, o usuário das três capitais nordestinas já citadas poderá escolher a opção entre pagamento com o cartão de crédito ou dinheiro para aquela corrida. Encerrada a viagem, o preço final aparecerá no aplicativo. Sendo assim, basta realizar o pagamento e descer.

A empresa garante que o troco não será um problema nem para o motoristas nem para o passageiro. “Se, por acaso, o troco vier errado, o usuário pode – pelo próprio aplicativo – entrar em contato com a Uber, que alguém vai entrar em contato para resolver esse problema”, realçou Fabio Sabba.

Ainda não há uma previsão para expandir o serviço para todo o Brasil, mas, com a novidade, Salvador passa a integrar a lista de 86 cidades que aderiram ao pagamento em dinheiro no mundo. Ao todo, o aplicativo opera em 400 cidades.

População aprova

Apesar de a gestão municipal ter sancionado lei que proíbe a execução de serviços como a Uber na cidade, a empresa está atuando a todo vapor. Conforme já analisou Fabio Sabba, o serviço é muito bem avaliado por motoristas e usuários baianos. Quem comprova isto é a estudante Milena Santiago, 23.

“Não acho que seja uma concorrência desleal, como dizem. É apenas mais um serviço que vem para beneficiar o consumidor, tanto no preço, quanto na comodidade. Os taxistas daqui [Salvador] usavam e abusavam, maltratavam os clientes, achando que nós trabalhamos para eles, não o contrário. Até para utilizar o ar-condicionado, um taxista chegou a dizer para mim que, por lei, ele poderia cobrar para isso. Enquanto isso, com o Uber, temos todo conforto, somos bem tratados, sem falar no preço totalmente acessível”, discorreu.

Para o operador de telemarketing, João Pedro Queiroz, 28, o que estava faltando era justamente outra forma de pagamento. “Às vezes o cartão fica sem limite, por exemplo, e você se vê sem poder utilizar o transporte que faz uso constantemente, como é o meu caso. Poder pagar em dinheiro vai facilitar e aumentar o número de usuários”, avaliou.