Trabalhadores dos Trens do Subúrbio decretam greve por 24 horas nesta sexta

Autor: N1 BAHIA

Publicada em


O Sindicato dos Ferroviários e Metroviários da Bahia e Sergipe (SINDIFERRO)  comunica  a população, o movimento grevista por 24 (vinte e quatro) horas.  Os trens do Subúrbio Ferroviário de Salvador, que operam o trajeto da Estação Ferroviária da Calçada a Paripe, não irão funcionar.

Em assembleia realizada no dia 27 de julho de 2016, os trabalhadores da empresa CTB – Companhia de Transportes do Estado da Bahia decidiram deflagrar o movimento grevista por 24 (vinte e quatro) horas.

Em nota enviada à imprensa, o sindicato diz que ” os rendimentos estão defasados há 11 anos, desde que os trabalhadores foram transferidos do controle da União, para o município, até chegarem ao estado. Não é novidade para ninguém, que o sistema está funcionando ‘a duras penas’. Os trens estão sucateados e os trabalhadores seguem operando verdadeiros milagres para não deixar a população suburbana sem o transporte de massa. O SINDIFERRO luta por um sistema que atenda as pessoas de uma forma digna, segura e eficiente.”

Ainda no documento, o SINDIFERRO afirma que informou aos usuários  sobre a paralização. Foram produzidos e distribuídos 25 mil panfletos aos passageiros do transporte desde a última quarta (03/08), nas estações suburbanas.

Esclarecimento

A Assessoria de Comunicação da Sedur ( Secretaria de Desenvolvimento Urbano), a qual a CTB é vinculada, enviou uma nota de esclarecimento sobre a  paralização da categoria para a Tribuna da Bahia  Online informando que “desde que o Estado assumiu a gestão do sistema de trens do Subúrbio, em maio de 2013, os salários dos funcionários foram reajustados três vezes, chegando aos 22,42% de aumento acumulado ao longo destes três anos.”

De acordo com a declaração da secretaria, o Governo do Estado decretou contingenciamento (Decreto nº 16.417/2015), numa proposta de esforço conjunto das suas secretarias, autarquias e empresas de economia mista, visando racionalizar as despesas e melhorar a qualidade do gasto público, sem qualquer comprometimento à prestação de serviço, e, a Copanhia  se coloca à disposição para diálogo com a categoria para que os serviços sejam restabelecidos o mais breve possível.

Há uma concepção  de “otimização do sistema” para o projeto do  Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), que vai substituir o atual sistema de trens. Totalizando 18,5 quilômetros de extensão e 21 estações, o VLT beneficiará mais de 1,5 milhão de moradores do Subúrbio Ferroviário de Salvador e será ampliado, chegando ao Terminal da França, no bairro do Comércio.   A licitação está prevista para ser lançada até o fim deste mês.