Salvador ganha Camelódromo na Baixa dos Sapateiros

Autor: N1 BAHIA

Publicada em


Mais um passo importante no ordenamento do comércio informal na cidade foi dado nesta segunda-feira (16), com a inauguração do novo Camelódromo, localizado na Baixa dos Sapateiros. O espaço, completamente recuperado, foi entregue pelo prefeito ACM Neto e pela secretária de Ordem Pública (Semop), Rosemma Maluf, e fica localizado na Rua J. J. Seabra, ao lado da Casas Bahia, onde funcionava um comércio improvisado, em condições insalubres. As obras foram realizadas sob a coordenação da Semop, que também fez o recadastramento e relocação dos ambulantes que atuavam no local e entorno.

Com investimento de cerca de R$420 mil, a estrutura de 600 metros quadrados tem capacidade para 120 comerciantes e conta com cobertura total, iluminação, sanitários personalizados para acesso a pessoas com deficiência, piso de alta resistência e até mesmo climatização por vaporizadores, dentre outros itens. Há ainda uma área lateral para a realização de pequenos eventos em épocas festivas, atraindo mais os consumidores. Todos os comerciantes receberam equipamentos padronizados e já estão atuando com as novas estruturas, desobstruindo as calçadas.

O prefeito ACM Neto lembrou, ao entregar o novo espaço, que essas intervenções integram um conjunto de medidas de ordenamento do comércio informal no Centro da cidade, com resultados positivos em toda a Avenida Sete de Setembro. “A Baixa dos Sapateiros precisava dessa revitalização, dessa reorganização. Temos aqui espaço para que pais e mães de família possam trabalhar diariamente, agora num ambiente protegido da chuva e do sol, climatizado e com sanitários”, disse, ressaltando ainda que autorizou a elaboração de um modelo de armazenamento dos artigos vendidos no local.

Para fomentar as vendas na região, ACM Neto anunciou que tem dialogado com a secretaria uma promoção comercial para atrair consumidores. “Temos também conversado com comerciantes do mercado formal e informal no sentido de prover cada vez mais linhas de ônibus para garantir um movimento permanente de pessoas nessa região. Vamos, em breve, lançar o novo Mercado de São Miguel. O projeto, que está ficando pronto, prevê não apenas a substituição daquela estrutura precária, mas também a construção de um modelo que tenha apelo turístico. Quando tudo isso se consolidar, todos sairão satisfeitos”, concluiu.

Presidente da Associação Integrada de Vendedores Ambulantes e Feirantes de Salvador (Assidvan), Valmir Fonseca apontou que ainda haverá um período de adaptação, seja do público ou dos comerciantes, mas que num curto prazo todos sentirão os benefícios. “O ambulante que trabalhava há 10, 15 anos aqui terá um pouco de tempo para ser localizado pela clientela, mas como a cidade já é sabedora do ordenamento que está acontecendo, logo isso passa. E aqui tem esse espaço com cobertura, iluminação. Ganha o ambulante, ganha a comunidade e a própria Prefeitura. Então, divulgando bem, apostamos que vai ser um sucesso porque o ambulante quer ficar onde tenha a venda, onde o povo vai”, afirmou