Prefeitura de Simões Filho alega falta de dinheiro e professores mantêm greve

20 mil estudantes continuam sem aulas.

Autor: Simões Filho Online

Publicada em


Foto: Simões Filho Online
Foto: Simões Filho Online

Nas questões financeiras, no que tange ao retroativo do professores, o avanço proposto não foi aceito pela categoria na Assembleia geral realizada na tarde desta segunda-feira (21). Alegando falta de dinheiro, a prefeitura de Simões Filho, ofereceu a proposta de pagar 1% por mês do valor do retroativo que se refere ao da mudança de nível, do incentivo a qualificação profissional e o pagamento pendente das pecúnias na soma de mais R$ 9 milhões, segundo a Diretora Jurídica da APLB sincicato Eneida Santos.

Sem “garantia”, os professores da rede municipal de ensino decidiram que irão manter a greve por tempo indeterminado em Simões Filho.

Com a decisão, os 20 mil estudantes da Rede Municipal de Ensino continuam sem aulas. A paralisação poderá comprometer o ano letivo dos estudantes simõesfilhenses. A próxima assembleia geral da categoria está agendada para 31 de março ás 8h.