8 mitos e verdades sobre o infarto

Autor: iG

Publicada em


As doenças cardiovasculares são aquelas que afetam o coração e as artérias. E uma delas é o infarto, que acontece devido à obstrução da artéria que leva sangue ao coração.

Pacientes com aumento de colesterol e triglicérides, obesos, diabéticos, com históricos familiares de problemas cardíacos e fumantes estão no grupo de risco de quem pode sofrer um ataque cardíaco.

De acordo com dados do Ministério da Saúde, o problema cardiovascular atinge mais de 300 mil indivíduos por ano e faz 80 mil vítimas nesse mesmo período. O que representa um óbito a cada cinco minutos.

Para informar a população, o coordenador da Cardiologia e Cirurgia Cardiovascular e coordenador das Unidades de Terapia Intensiva do Hospital e Maternidade Sino Brasileiro, Dr. Elcio Pires Junior, explica alguns mitos e verdades sobre este assunto:

Dor no peito é um sintoma de infarto? Verdade! A dor no peito é o principal sintoma do infarto, porém, pode ser confundida com outras doenças, como úlceras, tromboembolismo pulmonar, emergência hipertensiva e dores musculares. Por isso, é necessária a avaliação de um médico especialista para realizar o diagnóstico.

Homens sofrem mais infartos que mulheres? Verdade! Ainda hoje, os homens têm uma probabilidade maior, em até duas vezes, de ter mais ataque cardíaco do que as mulheres.

 Porém, após algumas décadas, as mulheres tiveram um aumento significativo na ocorrência de infarto por causa da menopausa. Além disso, a junção de pílulas anticoncepcionais e cigarro elevam em três vezes mais as chances delas sofrem deste problema cardiovascular.

Um episódio de estresse não é capaz de desencadear um infarto? Mito! Durante uma ocasião de estresse o corpo libera um hormônio que causa constrição dos vasos, podendo gerar um espasmo importante em uma artéria coronária, causando os sintomas de infarto e até lesão miocárdica.

Não há como evitar o infarto? Mito! A realização de exames periódicos pode detectar lesões ainda iniciais, que poderiam evoluir para o problema. A prevenção das doenças associadas, hábitos de vida saudáveis e prática de atividade física ajudam a prevenir o ataque cardíaco.

Infarto só acomete pacientes idosos? Mito! O ataque cardíaco pode atingir pessoas de todas as idades, inclusive crianças. Porém, em condições raras, normalmente associadas as más formações das artérias coronárias.

Pessoas magras dificilmente terão um infarto? Mito! Mesmo como a obesidade sendo um dos fatores de risco, pessoas magras podem ter alteração de colesterol e triglicérides ou diabetes, que levam a lesão arterial.

Pessoas fumantes têm mais chances de sofrer um infarto? Verdade! O paciente tabagista tem maior adesão das placas de gordura nas paredes dos vasos sanguíneos. O fumante tem até três vezes mais chance de infarto que o não tabagista.

Após um infarto o paciente precisa visitar o cardiologista constantemente? Verdade! Algumas medicações precisam ser feitas para estabilização do músculo cardíaco, na tentativa de evitar a progressão das lesões. Também precisam ser tratados os fatores de risco e possíveis complicações, como arritmias, hipertensão e insuficiência cardíaca.

“Em caso de dor no peito com um aperto de forte intensidade, com irradiação para o membro superior esquerdo e até para a região mandibular, associado a mal estar geral, suor frio, náuseas e vômitos, o paciente deve procurar imediatamente atendimento médico”, finaliza o especialista.