Homem é preso ao anunciar falsas vagas de emprego – ele obrigava mulheres a se prostituírem

Autor: N1 BAHIA

Publicada em


chantagem-estupro2

Integrante de uma quadrilha que alicia mulheres para a prostituição com falsa proposta de emprego, Dario Andrade Salomão, de 27 anos, teve mandado de prisão temporária cumprido, na segunda-feira (15). Segundo informações da delegada Maria Selma Lima, titular da 16ª Delegacia (Pituba), o homem é acusado de atrair mulheres, anunciando falsas vagas de empregos como a função de vendedoras.

De acordo com a polícia, Dario começou a ser investigado há um mês, quando uma mulher de 19 anos compareceu à DT/Pituba e o denunciou juntamente com toda a família dela. Ela decidiu registrar queixa porque começou a ser ameaçada e chantageada por ele desde o momento em que comunicou que não faria mais os programas sexuais que agendava para ela.

Segundo a mulher, Salomão estava exigindo a quantia de R$ 8 mil para não divulgar na internet fotos e vídeos comprometedores dela feitos com um celular. O aparelho que contém as imagens foi apreendido e será periciado no Departamento de Polícia Técnica (DPT).

OUTROS ENVOLVIDOS

A delegada Maria Selma, titular da DT/Pituba, disse, durante coletiva de imprensa, na manhã desta terça-feira (16), que no celular de Dario foram encontrados outros vídeos e fotos de, pelo menos, 30 mulheres diferentes, que podem ter sido vítimas do mesmo golpe. A polícia procura por outros envolvidos no esquema.

Em seu depoimento, a vítima declarou que conheceu Dario, em junho deste ano, quando respondeu ao anúncio de emprego visto num site de classificados. A falsa vaga era para trabalhar como vendedora numa loja localizada num shopping center, no bairro do Itaigara.

Ela relatou que foi convidada a ir até casa de Dario para uma entrevista, mas no local acabou sendo estuprada e agredida por ele, passando a fazer os programas sempre sob muitas ameaças de agressões. Dario será encaminhado ao sistema prisional.

Dario foi preso em sua residência, no município de Camaçari, por investigadores da 16ª Delegacia Territorial (DT), da Pituba.