Corpo é encontrado sem cabeça em matagal e com as mãos amarradas

Autor: Correio 24 horas

Publicada em


98648-3
Foto: Aldo Matos/Acorda Cidade

O jovem Pedro Gonzaga Neto, 21 anos, que foi decapitado e teve a cabeça abandonada no interior de uma mochila, encontrada na feira livre do Conjunto Feira VII, no dia 26 de março, teria sido morto por vingança. O corpo do rapaz foi encontrado na terça-feira (12), em um matagal nos fundos do Conjunto Penal de Feira de Santana, no bairro Aviário. O local é de difícil acesso.

Segundo informações do titular da Delegacia de Homicídios da cidade, o delegado Gustavo Coutinho, o local onde o corpo de Pedro estava foi indicado por Kekeu, um suspeito de envolvimento no crime. O corpo do jovem, que desapareceu no dia 25 de março, quando saiu de casa para andar de skate, foi encontrado decapitado, com as mãos amarradas para trás, em estado avançado de decomposição.

No local, também foi encontrada a faca utilizada como arma do crime, assim como uma corda de nylon com mais de 100 metros usada para amarrar a vítima. Ainda de acordo com a polícia, Pedro foi morto durante uma emboscada armada por um homem identificado como Robixão.

Ele teria convidado o jovem para beber próximo do local do crime. Ao chegar lá, Pedro foi amarrado, levado ao matagal e executado pelo suspeito, que teria contado com a ajuda de mais cinco pessoas. Depois, a cabeça do rapaz foi colocada na mochila e levada até o Conjunto Feira VII.

Ainda de acordo com a polícia, o crime foi motivado por vingança. Pedro teria paquerado a namorada de Robixão. Os nomes dos outros envolvidos no crime ainda não foram divulgados pela polícia, mas o grupo já foi identificado e terá o pedido de prisão preventiva feito pelo delegado Coutinho.

“Foi uma investigação constante e difícil. A família tinha realizado várias tentativas de encontrar o corpo, mas não conseguia resultado”, afirmou o titular da Delegacia de Homicídios.

Mãe reconheceu filho decapitado

A cabeça de Pedro tinha sido encontrada enrolada em um saco plástico, dentro de uma mochila preta e azul que foi abandonada em uma banca de verduras da feira livre no bairro Tomba, no dia seguinte ao seu desaparecimento. O rapaz morava na mesma região.

“Quando a mãe dele soube da história, foi correndo até o local e chegou depois que a gente tinha tirado a cabeça do saco, e os peritos estavam analisando. Ela o reconheceu na hora”, comentou.

A cabeça de Pedro foi encaminhada ao Departamento de Polícia Técnica (DPT) de Feira de Santana. Com o corpo do rapaz localizado, a polícia técnica vai realizar exames para confirmar a identidade de Pedro, que finalmente poderá ser sepultado pela família.