Consumidor deve ficar atento nas compras de última hora

Autor: N1 BAHIA

Publicada em


Entidades de defesa do consumidor fazem um alerta para as pessoas que optaram fazer as compras de natal nos shoppings e centros comerciais no último momento. Seja por falta de tempo, algum presente esquecido ou desejo de aproveitar as promoções para os itens que sobraram no estoque, a recomendação observar com atenção os detalhes dos produtos.

 “Quem não comprou ainda, o bom é sair com lista, saber o que vai comprar”, sugeriu a advogada Maria Inês Dolci, coordenadora da Associação Brasileira de Defesa do Consumidor (Proteste). Segundo ela, é preciso calma para enfrentar as filas e a demora normais no período.

A especialista aconselha ainda que, mesmo com pressa, os consumidores devem ficar atentos e se informar sobre possíveis trocas de produtos nas lojas. “A substituição não é obrigatória, quando o produto não tem defeito. É uma liberalidade da loja. Por isso é importante perguntar, guardar a nota fiscal. Muitos lojistas já entregam uma nota autorizando a troca”, disse.

Já o Instituto de Defesa do Consumidor do Distrito Federal (Procon-DF), diz que os produtos em promoção também seguem a política de troca estabelecida pelo vendedor. “A troca é opção do lojista, mas deve ser informada sempre ao cliente”, ressaltou a entidade, em nota.

Produto defeituoso

O Procon-DF reforça que, em casos de reclamações, os consumidores devem procurar, no primeiro momento, o vendedor ou o fabricante, pois os dois são responsáveis pelo item.

No caso de produto defeituoso, o consumidor pode exigir o conserto. Se o problema não for solucionado em 30 dias a partir da comunicação, é possível exigir um produto novo ou cancelar a compra e pedir o dinheiro de volta.

Outra opção, se aceita pelo comprador, é receber um abatimento e ficar com o produto defeituoso. Trata-se de uma alternativa viável nos casos de defeitos de menor monta e que não comprometem o uso do produto.

Caso o problema não seja resolvido, é possível procurar os postos de atendimento do Procon no Distrito Federal.