‘Fechação’: Concurso de Fantasia LGBT acontece nesta segunda (12) em Salvador

Autor: Débora Souza

Publicada em


Foto: Reprodução

Vai ser “lacre” e “fechação”. O 21º Concurso de Fantasia LGBT do Carnaval de Salvador, que conta com o apoio da Prefeitura, por meio da Empresa Salvador Turismo (Saltur), vai levar uma diversidade de fantasias, apresentações de DJs e shows de coletivos transformistas para as escadarias do Palácio Thomé de Souza, na Praça Municipal, nesta segunda-feira (12/2). A programação começa às 15h e segue até as 22h30, encerrando com o show de Vérciah e Banda Muriquins.

O desfile já se consagrou como um dos momentos mais esperados por foliões de todas as faixas etárias, que vão conferir de perto a criatividade dos participantes. As fantasias, cada uma mais “bafônica” que a outra, envolvem roupas exuberantes, plumas, penas raras e muita purpurina.

Todos os anos são disputadas premiações nas categorias Luxo e Originalidade. Nessa edição, serão disponibilizados prêmios em dinheiro, no valor de R$8 mil, R$7 mil e R$6 mil, respectivamente, para o primeiro, segundo e terceiro lugar da categoria Luxo; E R$6 mil, R$5 mil e R$4 mil para o primeiro, segundo e terceiro lugar da categoria Originalidade.

O GGB buscou priorizar apresentações de ativistas esse ano. “Priorizamos apresentações de coletivos e grupos de atores, inclusão de balé, mas priorizamos o ativismo. Queremos, por meio da arte e do trabalho dos artistas, denunciar os homicídios ‘LGBTfóbicos’ e o feminicídio”, diz o presidente da entidade, Marcelo Cerqueira.

Para denunciar o feminicídio, o ator Ferah Sunshine desenvolveu uma performance, a partir da música “Maria da Vila Matilde”, interpretada na voz de Elza Soares, uma das cantoras ativistas da causa. A canção estimula ligar para 180 em casos de violência contra a mulher. Dando continuidade às denúncias, a transformista Scarlet vai utilizar a música “Que tiro foi esse”, de Jojo Todinho, para falar dos crimes contra gays.

O final da noite ficará por conta do cantor Verciah e da banda Muriquins com canções que valorizam a cultura afro, apresentando ritmos como o Reggae, Ijexá, Afrobeat, Samba-reggae e groove. O evento é realizado pelo GGB, Quimbanda Dudu e Bloco Vamos Nessa.