Colégio estadual oferece aulas gratuitas de música em Salvador; veja como participar

Autor: Débora Souza

Publicada em


Foto: ASCOM Secretaria da Educação do Estado da Bahia

Uma parceria entre o Colégio Estadual Ruben Dário, localizado na San Martin, em Salvador, e a Associação Cultural Música na Comunidade, tem promovido a integração entre a escola e a comunidade local, por meio de aulas de violão, guitarra, teclado e leitura de partituras.

“Tudo começou como uma forma de preencher o tempo dos estudantes e, ao longo dos anos, além de trazer muitos jovens da comunidade para o mundo da música, abriu portas para o trabalho, como alguns que estão tocando ou se tornando multiplicadores, dando aulas no Neojiba. Nosso projeto é um sucesso, porque eu acredito que a música transforma vidas”, declara.
Além de participar das oficinas, os estudantes se apresentam em eventos na unidade ou promovidos por outras escolas e em praças e parques. O jovem Vitor Passos, 19 anos, participa do projeto há dois anos, já aprendeu a tocar violão, teclado e baixo e está fazendo parte de duas bandas. “Participar das aulas de música me abriu várias portas e mudou muito minha vida. Me estimulou a realizar meu sonho de ser músico”, confessa.
As aulas acontecem aos sábados no colégio, das 8h às 11h, e contribuem para despertar ainda mais o interesse dos jovens pela arte musical, que é estimulado na Secretaria da Educação do Estado por meio de projetos como o Festival Anual da Canção Estudantil (Face).
Para participar das oficinas, os interessados devem se dirigir ao colégio munidos dos documentos pessoais (RG, CPF e comprovante de residência) e preencher uma ficha de inscrição. O professor de música e idealizador do projeto, Jairo Porto, conta que as aulas já acontecem há 10 anos e tem modificado a vida de muitos estudantes.
Dona Edna Ramos, 60, moradora da comunidade, começou a frequentar as aulas em 2017. “Nunca tinha pensado em aprender música, mas participar das aulas e aprender a tocar violão está contribuindo bastante para a minha autoestima. Estou me sentindo muito bem, estudando com os jovens. Senti uma melhoria significativa da minha qualidade de vida. Ainda estou dando os primeiros passos, mas com dedicação chego lá”, comemora.