Bolsa Família aumenta até R$ 177, confira tipos de benefícios e o novo calendário

Autor:

Publicada em


Mais um período de pagamento do Bolsa Família 2018 vai começar

Bolsa Família teve aumento de até R$ 177 reais, saiba os tipos de benefícios e o novo calendário de 2018. Mais um período de pagamento do Bolsa Família 2018 vai começar neste mês de maio. Ao todo, o Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) vai transferir R$ 2 bilhões para mais de 14 milhões de famílias.

Em resumo, o pagamento do benefício, cujo valor médio é de R$ 177,07, será feitos entre os dias 17 e 30 deste mês. Dessa forma, os brasileiros que possuem o Bolsa Família têm até três meses a partir da data de disponibilização do benefício para sacarem o valor.

Novo Valor

A partir de julho de 2018, o Bolsa Família terá um reajuste de 5,67% no valor do benefício médio. Com a alteração, o pagamento passará de R$ 177,71 para uma quantia estimada de R$ 187,79.

O reajuste cobre o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) acumulado de julho de 2016 a março de 2018 (4,01%). Desta forma, a suplementação orçamentária para este ano será de R$ 684 milhões.

Bolsa Família

Como sabemos, o Bolsa Família é um programa social do governo federal voltado para famílias extremamente pobres. Dessa forma, essas famílias precisam ter renda per capita mensal de até R$ 85, e pobres, com renda per capita mensal entre R$ 85,01 e R$ 177.

Assim, os participantes recebem o valor mensalmente e, em troca, cumprem compromissos nas áreas de saúde e educação.

Quem pode participar

Saiba o que fazer para que sua família receba o benefício​

Primeiramente, a população alvo do programa é constituída por famílias em situação de pobreza ou extrema pobreza.

Segundo, que as famílias extremamente pobres são aquelas que têm renda mensal entre R$ 85,01 e R$ 170,00 por pessoa.

As famílias pobres participam do programa, desde que tenham em sua composição gestantes e crianças ou adolescentes entre 0 e 17 anos.

Enfim, para se candidatar ao programa, é necessário que a família esteja inscrita no Cadastro Único do Governo Federal. Os dados do seu cadastro devem estar atualizados há menos de 2 anos.

Caso atenda aos requisitos de renda e não esteja inscrito, procure o responsável pelo Programa Bolsa Família na prefeitura de sua cidade para se inscrever no Cadastro Único.

Antes de mais nada, mantenha seus dados sempre atualizados, informando à prefeitura qualquer mudança, como de endereço e telefone de contato e modificações na constituição de sua família, como nascimento, morte, casamento, separação, adoção, etc.

Por outro lado, o cadastramento é um pré-requisito, mas não implica na entrada imediata das famílias no programa, nem no recebimento do benefício.

Mensalmente, o MDS – Ministério do Desenvolvimento Social seleciona, de forma automatizada, as famílias que serão incluídas para receber o benefício.

Posteriormente, para saber se você foi incluído no programa, consulte o responsável pelo programa na prefeitura de sua cidade. Você também pode consultar aqui​ a lista de famílias beneficiárias.​

Benefícios

Em síntese, as famílias em situação de extrema pobreza podem acumular o benefício até o máximo de R$ 372,00 por mês. Como também, podem acumular 1 (um) benefício para Superação da Extrema Pobreza. ​

Valores e os tipos de benefícios

A partir de julho de 2018, o benefício variável, que é de R$ 39,00, passará a ser pago no valor de R$ 41,00. Ainda segundo o governo, o valor é destinado a famílias que se encontrem em situação de extrema pobreza (com renda mensal por pessoa de R$89,00), bem como pobreza (com renda mensal por pessoa entre R$89,01 até R$ 178,00) e que tenham em sua composição, crianças e adolescentes entre zero e 15 anos, gestantes e/ou nutrizes.

Quem pode receber o benefício básico de R$ 85,00?

Famílias em situação de extrema pobreza (com renda mensal de até R$ 85,00 por pessoa).

Sobre o reajuste do Bolsa Família, a partir de julho de 2018 a nova linha de extrema pobreza passa a ser de R$89,00. Portanto, o benefício básico, que é de R$ 85,00, passará a ter o valor de R$ 89,00.

Quem pode receber o Benefício Variável de R$ 39,00?

Primeiramente, o governo aponta que podem receber o benefício famílias em situação extrema pobreza e de pobreza. Ao mesmo tempo, essas famílias, devem ter na composição familiar, crianças/adolescentes, bem como gestantes. Cada família pode receber até 5 benefícios variáveis.

  • No caso da gestante, são pagas 9 parcelas, a contar da data do início do pagamento do Benefício Variável à Gestante – BVG).
  • No caso da família ter alguma criança de até 6 meses de idade, a família receberá 6 parcelas do benefício, a contar da data que o bebê foi identificado no Cadastro Único (BVN).

Quais são as regras para receber os benefícios variáveis?

  • As gestantes, bem como crianças e adolescentes de 0 a 15 anos devem estar cadastrados, no Cadastro Único, e ter todas as informações obrigatórias preenchidas corretamente.
  • A gestante tem que ter sido identificada no Sistema Bolsa Família pela equipe do município até o nono mês de gravidez, e pré-natal regularmente.
  • As crianças menores de 7 anos devem ser levadas para fazer o acompanhamento de saúde. A equipe de saúde da cidade deve manter atualizado o calendário de vacinação e acompanhar a criança.
  • As crianças, assim como os adolescentes com idade de 6 a 15 anos precisam estar matriculados na escola. Alem disso, ter, no mínimo, 85% de frequência das aulas.

Quem pode receber o Benefício Variável Jovem – BVJ de R$ 46,00?

Inicialmente, famílias com renda mensal de até R$ 170,00 por pessoa, que tenham jovens de 16 e 17 anos.

 ATENÇÃO: Cada família poderá receber no máximo 2 BVJ.

 O BVJ é pago até dezembro do ano em que o jovem completar 18 anos.

  • O jovem deve estar cadastrado no Cadastro Único, e ter todas as informações obrigatórias preenchidas corretamente.
  • O jovem precisa estar matriculado na escola e ter, no mínimo, 75% de frequência das aulas. 

Quem pode receber o Benefício para a Superação da Extrema Pobreza – BSP (Brasil Carinhoso)?

De acordo com o MDS, todas as famílias que já são beneficiárias do PBF e que, mesmo recebendo os outros tipos de benefícios, permanecem ainda com renda mensal de até R$ 85,00 por pessoa.

Sendo assim, não existe um valor fixo para o BSP. Pois ele é calculado caso a caso.

Desta maneira, o valor do BSP vai depender:

– da renda familiar declarada no Cadastro Único.

– do número de pessoas da família.

– dos valores dos outros benefícios do Bolsa Família que a família já recebe.

Segundo o Governo Federal, a partir de julho de 2018, o BSP será pago às famílias que continuam em situação de extrema pobreza. Isto é, com renda mensal por pessoal de até R$ 89,00, mesmo após receberem os outros benefícios do Programa.

Calendário de pagamentos

De acordo com o Ministério do Desenvolvimento Social, o dia do seu pagamento é definido a partir do último número do seu NIS. Vale informar que o (Número de Identificação Social) fica impresso no Cartão Bolsa Família. 

Em resumo, observe no seu cartão esse número e confira no calendário, o dia que você irá receber em cada mês.

Por exemplo: para um cartão com NIS terminado em 5, o saque poderá ocorrer a partir do quinto dia do calendário oficial de pagamentos.

Enfim, veja o calendário de liberação de pagamento de maio:

Final 1: 17/05
Final 2: 18/05
Final 3: 21/05
Final 4: 22/05
Final 5: 23/05
Final 6: 24/05
Final 7: 25/05
Final 8: 28/05
Final 9: 29/05
Final 0: 30/05

Em suma, veja o calendário completo para 2018: