Beneficiários do Bolsa Família têm aumento de 20% no poder de compra

Autor: N1 BAHIA

Publicada em


O aumento do poder de compra dos brasileiros beneficiários do Bolsa Família vai atingir a marca de 20% em julho. A informação foi divulgada nessa terça-feira (19) pelo ministro do Desenvolvimento Social, Alberto Beltrame.

De julho de 2016 a março de 2018, o aumento do poder de compra dos que recebem o auxílio já havia subido 14,2% e, de lá até julho, subirá mais 5,8%. De acordo com o ministro, os pagamentos em dia, os recentes reajustes e a queda da inflação explicam maior aproveitamento dos valores recebidos pelos beneficiários.

Atualmente, 13,7 milhões de famílias são atendidas pelo programa. A partir de 1º de julho, o valor recebido por elas passará de R$ 177,71 para uma quantia estimada em R$ 187,79.

O ministro Beltrame acrescentou ainda que, com o programa melhor estruturado, acabou a demora de mais de um ano que, de acordo com ele, havia entre o cadastro e o primeiro repasse aos lares. Processo que hoje “dura até 45 dias”

Conheça o Programa Bolsa Família

O Bolsa Família é um programa que contribui para o combate à pobreza e à desigualdade no Brasil. Ele foi criado em outubro de 2003 e possui três eixos principais:

Complemento da renda

Todos os meses, as famílias atendidas pelo Programa recebem um benefício em dinheiro, que é transferido diretamente pelo governo federal. Esse eixo garante o alívio mais imediato da pobreza.

Acesso a direitos

As famílias devem cumprir alguns compromissos (condicionalidades), que têm como objetivo reforçar o acesso à educação, à saúde e à assistência social. Esse eixo oferece condições para as futuras gerações quebrarem o ciclo da pobreza, graças a melhores oportunidades de inclusão social.

Importante — as condicionalidades não têm uma lógica de punição; e, sim, de garantia de que direitos sociais básicos cheguem à população em situação de pobreza e extrema pobreza. Por isso, o poder público, em todos os níveis, também tem um compromisso: assegurar a oferta de tais serviços.

Articulação com outras ações

O Bolsa Família tem capacidade de integrar e articular várias políticas sociais a fim de estimular o desenvolvimento das famílias, contribuindo para elas superarem a situação de vulnerabilidade e de pobreza.

Desde 2011, o Bolsa Família faz parte do Plano Brasil Sem Miséria. Que reuniu diversas iniciativas para permitir que as famílias deixassem a extrema pobreza. Com efetivo acesso a direitos básicos e a oportunidades de trabalho e de empreendedorismo.

A gestão do Bolsa Família é descentralizada, ou seja, tanto a União, quanto os estados, o Distrito Federal e os municípios têm atribuições em sua execução. Em nível federal, o Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) é o responsável pelo Programa. A Caixa Econômica Federal é o agente que executa os pagamentos.

Conheça o calendário completo

Os benefícios do Bolsa Família são pagos mensalmente, seguindo um calendário nacional. O calendário estabelece as datas de pagamento de acordo com o último número do NIS (Número de Identificação Social) impresso no Cartão Bolsa Família. Por exemplo: para um cartão com NIS terminado em 5, o saque poderá ocorrer a partir do quinto dia do calendário oficial de pagamentos.

Cada benefício fica disponível para saque por 90 dias a partir da data prevista no calendário. O benefício de janeiro, por exemplo, pode ser sacado até o mês de abril.

O calendário de pagamentos está afixado nas agências da CAIXA, nas casas lotéricas e nos demais locais de pagamento. Também está disponível em versão digital no site da CAIXA (www.caixa.gov.br) .

Este é o calendário para 2018:

Bolsa Família de junho começou a ser pago - Veja quem tem direito e como se inscrever
Foto: Divulgação / MDS