Bahia perde do Ceará e cai para 9º lugar

Autor: A Tarde

Publicada em


O Bahia até que tem crescido um pouco de produção. Depois de perder quatro jogos seguidos, venceu  o Oeste por 2 a 0 na terça-feira.

Ontem, pela 14ª rodada da Série B,  apresentou futebol de nível semelhante. Contudo, se quiser retornar à Série A, será preciso melhorar muito mais. A derrota por 1 a 0 diante do Ceará, adversário direto  por uma posição no G-4, grupo das quatro equipes que ascenderão à elite do futebol nacional, deixou isso claro.

O problema é que o Tricolor peca nos lances cruciais do futebol. O tento que definiu a partida, logo aos três minutos do primeiro tempo, evidenciou um grande ponto fraco do time: a insegurança do sistema defensivo. Após cobrança de falta para o meio da área, o atacante Rafael Costa subiu sozinho, sem qualquer marcação, e cabeceou no canto esquerdo de Jean.

O outro ponto fraco é a ineficiência do ataque, que cria chances, mas não consegue marcar. Só na etapa inicial de ontem, foram três oportunidades claras perdidas. A primeira foi quando o placar ainda registrava 0 a 0. Hayner cruzou e Hernane cabeceou, mas Éverson defendeu.

As outras chances vieram em nova cabeçada de Hernane, aos 18 minutos, que foi para fora, e em chute de Thiago Ribeiro, aos 21, que gerou outra boa defesa do goleiro.

Aos 23, Renato Cajá também tentou em chute forte de fora da área, mas a bola passou por cima do travessão.

Do outro lado, o Ceará chegou ao ataque aos 28, quando Felipe bateu escanteio e Jean saiu mal do gol, mas, após bate-rebate na área, a zaga conseguiu afastar. Aos 35, Jean se redimiu em boa defesa após Wescley passar por Juninho e soltar uma bomba.

Polêmica
Quando a fase é não é boa, tudo parece conspirar contra. Na etapa final, aos 26 minutos, o Bahia até conseguiu balançar as redes. Lucas Fonseca, de cabeça, passou para Hernane, que chutou para o gol. A arbitragem, porém, anulou o tento, assinalando impedimento. O goleador tricolor, aparentemente, estava na mesma linha da defesa cearense.

De resto, o panorama do jogo foi o mesmo. O Bahia dominava as ações, mas finalizava mal. Do outro lado, era ameaçado em alguns contra-ataques.

Jean, que substituiu Marcelo Lomba e atuou sob desconfiança da torcida, ainda evitou uma mal pior ao fazer duas belas defesas nos minutos finais. A primeira quando a zaga cochilou e Felipe saiu na cara do gol. A segunda, após boa jogada de Diego Felipe, que finalizou em chute cruzado.

Futebol mostra que é nos confrontos diretos que um campeonato se decide. E é neles que as fragilidades do Bahia têm se evidenciado. Dos sete times que estão na parte de cima da tabela e o Tricolor já enfrentou (Vasco, Ceará, CRB, Paraná, Criciúma, Brasil de Pelotas e Náutico ), só venceu um: o CRB. Por isso, a modesta 9ª colocação é merecida.